Femama Batalhadoras. Todo dia uma vitória contra o câncer de mama. Marlí Marcon

Dicas

Dicas para cuidar da pele no verão durante o tratamento

16/02/2018 - Todas as pessoas devem tomar alguns cuidados com relação ao sol, em qualquer época do ano. Durante o verão, quando costumamos ficar mais expostos e os raios são mais intensos, a precaução deve ser redobrada. Usar protetor solar com fator de proteção a partir de 30 é fundamental, mas evitar a exposição direta, principalmente, nos horários entre 9h e 16h, é o ideal para se precaver. 

Apesar de os raios solares serem igualmente nocivos a todos, existem algumas medidas específicas das quais as mulheres que estão em tratamento ou se recuperando de uma cirurgia para câncer de mama devem estar atentas. O Dr. Ricardo Caponero, oncologista e presidente do Conselho Técnico-Científico da FEMAMA, alerta sobre os principais cuidados: 

> Tipo de protetor solar: é recomendado uso de protetor que contenha hidratante e com fator de proteção a partir de 30. Dê preferência para os neutros e sem perfume. Não se deve usar cremes com hormônios, principalmente estrogênios. 

> Horário de exposição ao sol: depende da localização do país em que a pessoa mora, mas, em geral, não é recomendado se expor ao sol entre 9h e 16h.

> Cuidados pós-cirurgia: quando expostas ao sol, as cicatrizes tendem a escurecer e deixar marcas, por isso, o cuidado com a exposição deve ser redobrado. Siga sempre as orientações do cirurgião.

> Tratamento com radioterapia: pacientes que estejam ou já tenham realizado tratamento com radioterapia devem proteger as áreas irradiadas sempre. A tendência é que estas regiões fiquem bastante sensíveis a queimaduras de sol. 

> Reações alérgicas: os cremes que são constituídos por hidratante e filtro solar não costumam causar processos alérgicos, por isso deve-se evitar cremes com outros componentes. Mas, se houver reação alérgica, deve-se suspender imediatamente o uso e lavar abundantemente a região afetada com água e sabão, para retirar qualquer resquício do produto. Caso as lesões persistam, procure um dermatologista ou o próprio mastologista.


Compartilhe: